Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Junta de Freguesia contra bares gay do Príncipe Real e fala em “verdadeiro nojo”

A Junta de Freguesia das Mercês (Lisboa) está contra a "abertura desmedida de bares de animação nocturna de funcionamento duvidoso e reprovável". No boletim informativo distribuído na freguesia que abrange a zona do Príncipe Real, a Junta presidida por Alberto Bento (PS) queixa-se de que "ninguém fiscaliza nada, como é exigível, nomeadamente a enorme concentração de pessoas nas zonas juntas aos estabelecimentos, a venda de bebidas para a rua, a música em volumes que fazem estremecer quem ali vive e que precisa e tem o direito de poder descansar".

 

A entidade também critica a atribuição de horários de funcionamento de bares até às quatro da manhã "numa zona residencial". Como o dezanove.pt tem divulgado, nos últimos dois anos, abriram novos bares gay na zona do Príncipe Real, como o Woof LX, o Woof X, o Tr3s ou o Cru. Na Praça das Flores está agora instalado o bar Luz Nocturna. A discoteca Bric transformou-se em Construction, o que tem atraído mais pessoas à rua Cecílio de Sousa. A actividade nocturna tem sido, aliás, tema das assembleias de freguesia desde o ano passado, com vários moradores a queixarem-se do ruído e dos constrangimentos no trânsito.

A Junta aponta o dedo ao "eixo da Rua da Palmeira, Ruben A. Leitão, Cecílio de Sousa, Adelas e Praça das Flores", sem referir a temática dos espaços nocturnos em causa. A Junta sublinha que está a "favor do progresso, do desenvolvimento do comércio, do direito ao divertimento (estamos de acordo), não pode ser entendido como aceitar esta selvajaria (porque é disso que se trata), pois os que aqui moram também têm direito ao descanso, à segurança e de não aceitar que o seu bairro deixe de ter qualidade de vida". No mesmo texto, a Junta diz que "as ruas cheiram mal (qualquer esquina serve de urinol público), junto às portas dos prédios é frequente verem-se copos ainda com bebida e outras coisas, garrafas de cerveja, preservativos usados, etc. Um verdadeiro nojo".

 

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Miguel 07.09.2012 11:31

    "Preocupam-se com as DST's?" E isso é motivo para se deixar preservativos dentro de copos, ou no chão, ou pendurados em andaimes como já vi? Podendo crianças, adultos ou até animais domésticos entrar em contacto com aquela porcaria????
    O problema da maioria do gays é que acham que para se fazerem mostrar, para se afirmarem, têm que chocar a sociedade!
    É através de bons exemplos e de uma postura exímia que se dão chapadas de luva branca...
    Todos os fins de semana a mesma história: gente a cheirar cocaína ou bloom nas ruas do Príncipe Real, a dar quecas atrás de carros em ruas escuras, urinar contra qualquer parede. Isto são comportamentos que não são dignificantes para ninguém, hetero ou gay - mas muito menos para esta última comunidade que tanto precisa de ser esforçar para se mostrar "mais à frente" que o resto da sociedade.
    Democracia não é poder cuspir na cara do outro quando bem nos apetece.
    Sou gay e não é por isso que me esqueço do significado da palavra "respeito".
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.