Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

O Parlamento russo vai debater as alterações ao “Código da Família” para afastar filhos dos pais

A iniciativa sobre a anulação dos direitos parentais por “contacto sexual com um indivíduo do mesmo sexo” (sic) foi proposta pelo deputado Alexey Zhuravlev do partido “Rússia Unida”. A existência deste "contacto", tal como é descrito, será averiguada e provada pelas autoridades policiais e por um comité de investigação. As crianças serão afastadas por decisão do tribunal e transferidas para instituições estatais. Na nota conceptual da proposta-lei está escrito que: “o contacto sexual por parte de um dos pais da criança com o indivíduo do mesmo sexo poderá causar um “grande dano” psíquico no menor da idade”.

 

A alteração proposta incide no Art. 69 (privação de direitos parentais) do Código da Família da Federação Russa. Com esta alteração gays e lésbicas irão ficar no mesmo grupo de exclusão, que até agora incluía alcoólicos, toxicodependentes e criminosos. A proposta de lei também abrange as famílias que já se separaram por causa dos “contactos não tradicionais” e ainda os pais que não escondem as relações sexuais com  pessoas do mesmo sexo.

Entretanto, os activistas LGBT anunciaram que estão a recolher toda a informação sobre os deputados do Parlamento Russo que sejam gays, lésbicas, bissexuais e transgéneros. Eles procuram pessoas, que possam confirmar os factos da homossexualidade no caso destes representantes do poder. Neste caso trata-se, em primeiro lugar, de deputados que escondem a sua homossexualidade, mas ao mesmo tempo apoiam as leis contra os LGBT e que limitam os Direitos Humanos. Esta campanha de coming out em massa e à força pode tornar-se numa resposta radical, mas eficaz para o projecto-lei supra mencionado acreditam. Ficarão “imunes” deste coming-out “forçado” apenas os deputados que votem contra este projecto-lei. Os outros serão denunciados caso este projecto-lei siga em frente. Os activistas-LGBT afirmam que: “é inadmissível que uma pessoa que aprova leis as viole, é uma coisa que não pode existir na prática política pública.”

A confirmar-se, “o afastamento das crianças com pais LGBT” será já a quarta lei contra a comunidade LGBT que é proposta no Parlamento Russo nos últimos meses. Esta proposta surge após a afirmação recente do presidente da Rússia, Vladimir Putin: “a perseguição dos gays na Rússia é uma ilusão”. Duas das quatro leis já foram ratificadas pelo presidente: uma sobre a propangada homossexual e a outra sobre a adopção de crianças russas por casais homossexuais estrangeiros. A terceira alteração foi proposta pela deputada Mizulina e trata do impedimento de passagem de crianças para famílias homossexuais durante o processo de readopção.

 

Alexandre Iourtchenko


Já segues o dezanove no Facebook?

4 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Andreia 08.09.2013 19:49

    A Ana sabe que o Bloco de Esquerda se distancia dos crimes perpetrados durante a União Soviética (o PCP não) mas que a actual Rússia nada tem que ver a nível social e político com a URSS, não sabe?
    E, se sabe, porquê esse pedido de esclarecimentos aos partidos de esquerda com assento parlamentar?
  • Sem imagem de perfil

    Ana 09.09.2013 12:09

    Olá,
    pedi esclarecimentos pois os partidos em questão gostam de comentar a falta de democracia e a suposta ditadura deste pais, eu sei que na política a verborreia é maioria das vezes areia para os olhos e uma forma de mostrar trabalho mas nem todos os portugueses estão cegos, sejam de direita ou de esquerda mas esta ultima também não detém o monopólio da verdade, podemos constatar isso pela história.
    Quanto ao tema, os ditadores que se encontram a governar a Russia são antigos activos do regime comunista daí ter pedido o esclarecimento por parte da ala esquerda da política portuguesa, claro que a extrema direita aproveita-se da mesma forma que a extrema esquerda, o normal já que estas duas teem interesses comuns.
    Acho também que nem toda a população LGBT em Portugal é simpatizante ou militante de partidos de esquerda e falo por mim que não o sou, daí gostar também que seja postado outro tipo de comentários sem ser sempre o discurso de esquerda. A reação ao meu post é prova da falta de abertura a outros pensamentos.
  • Sem imagem de perfil

    Andreia 14.09.2013 20:29

    Não. É apenas a prova da falta de abertura em relação a comentários mal estruturados e aparentemente ignorantes.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.