Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Bloco chama Jesus Cristo para assinalar vitória da adopção

jesus tinha dois pais.jpg

O Bloco de Esquerda vai lançar este Sábado uma campanha para assinalar a vitória na votação do diploma que permite a possibilidade de adopção por casais do mesmo sexo.

 

Entre os cartazes previstos, há um com uma imagem de Jesus Cristo no qual se lê “Jesus também tinha dois pais”. No fundo rosa encontra-se a data de aprovação da lei da adopção no Parlamento e a palavra igualdade, adianta o jornal Público.

Segundo o mesmo diário, para além deste outdoor, haverá outros com  desenhos a representar diferentes tipos de famílias e ainda autocolantes. O partido prevê também realizar uma sessão pública sobre o tema com data e convidados a anunciar.

Ao Público, a deputada bloquista Sandra Cunha diz que a ideia do cartaz com a imagem de Jesus Cristo não pretende ofender nem a Igreja nem a religião, mas é uma forma de “mostrar às pessoas” que “sempre existiram famílias diferentes” e que essa não é uma realidade “nova nem recente”. 

5 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 27.02.2016 21:23

    Não foi a rede ex aequo a chamar pedófilos aos padres. Foi sim uma pessoa convidada pela rede ex-aequo que fez alusão aos escândalos de pedofilia na Igreja Católica. Quando muito o que essa pessoa disse apenas ataca os padres pedófilos (e quem cobre os abusos sexuais menores... e cobrir abusos também é crime).
    Já o cartaz do BE não ofende absolutamente ninguém (quando muito ofende os homofóbicos que acham que ter dois pais é mau). Basta pôr dois neurónios a funcionar para perceber isso.
  • Sem imagem de perfil

    João Delgado 28.02.2016 15:35

    "Não foi a rede ex aequo a chamar pedófilos aos padres. Foi sim uma pessoa convidada pela rede ex-aequo que fez alusão aos escândalos de pedofilia na Igreja Católica"
    Na altura, ainda como associado dessa organização questionei a mesma sobre este assunto. Não obtive qualquer resposta. Quem cala consente...

    "Já o cartaz do BE não ofende absolutamente ninguém (quando muito ofende os homofóbicos que acham que ter dois pais é mau). Basta pôr dois neurónios a funcionar para perceber isso."
    Tanto ofende que houve varias pessoas inclusive activistas lgbti de primeira linha, a propia Marisa Matias candidata presidencial do BE se veio a desmarcar desta atitude.
    Eu pessoalmente como gay não mr reveijo nada neste tipo de atitudes até me sinto indignado que estas atitude seijam festa "em defesa dos meuis interesse"
    "quando muito ofende os homofóbicos que acham que ter dois pais é mau"
    Penso que a homofobia se combata educando esses mesmo homofóbicos de forma a deixarem de o ser, e não com este tipo atitudes. É muito fácil apontar e atacar gratuitamente A, B ou C como homofóbico, em vez de tentar perceber de onde vem essa homofobia e ir atacar o problema na raiz e educar essa pessoas:
    O cartaz foi tão bom a desempenhar o seu papel, que o resultado esta a vista de todos, agora este é o propio foco da discussão e não a questão de existir vários tipos de famílias.

    E depois é uma hipocrisia tremenda em estar a chamar a religião para este assuntos, quando antes, quando se lutava para termos acesso ao casamento, a lei de identidade de género, a própria lei da adopção, sempre se defendo que este tipo de debates devia ser feito fora de qualquer edulogica e crença religiosa, ainda me lembro de o pessoal ser plenamente contra em quando a igreja católica era chamada para estes debates.
    Por tanto não reconheço legitimidade nenhuma para qualquer partido/organização vir por sua propia iniciativa vir chamar qualquer religião para este tipo de questões
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 28.02.2016 17:29

    "Tanto ofende que houve varias pessoas inclusive activistas lgbti de primeira linha, a propia Marisa Matias candidata presidencial do BE se veio a desmarcar desta atitude."
    Argumento de autoridade?

    "Eu pessoalmente como gay não mr reveijo nada neste tipo de atitudes até me sinto indignado que estas atitude seijam festa "em defesa dos meuis interesse""
    Então imagine como se sentem os cristãos LGBT quando há pessoas que se dizem pró-LGBT a considerar um cartaz com o qual eles se identificam ofensivo. Tanto se queixam de uma suposta "ofensa" aos cristãos, mas pelos vistos não têm problema em falar em nome dos cristãos quando há muitos cristãos que não se identificam com falsos moralismos.

    "O cartaz foi tão bom a desempenhar o seu papel, que o resultado esta a vista de todos, agora este é o propio foco da discussão e não a questão de existir vários tipos de famílias."
    As virgens ofendidas é que conseguiram desviar o assunto para a sua vontade de querer o regresso da censura. Mas já agora, que se debata a censura em Portugal. Que se debata sobre quando a RTP censurou Herman José por gozar com D. Sebastião ou por gozar com a última ceia. Que se debata sobre quando um secretário de Estado do governo de Cavaco Silva resolveu censurar uma obra do único Prémio Nobel da Literatura português. Que se debata tudo isso.

    "Por tanto não reconheço legitimidade nenhuma para qualquer partido/organização vir por sua propia iniciativa vir chamar qualquer religião para este tipo de questões"
    Ah sim, porque querer censurar em nome dos "sentimentos" religiosos não é chamar a religião para este tipo de questões nem nada do género...
  • Sem imagem de perfil

    João Delgado 28.02.2016 21:57

    ""Tanto ofende que houve varias pessoas inclusive activistas lgbti de primeira linha, a propia Marisa Matias candidata presidencial do BE se veio a desmarcar desta atitude."
    Argumento de autoridade?"
    Não. Simplesmente a constatação de um facto que não são só "quando muito ofende os homofóbicos que acham que ter dois pais é mau"

    "As virgens ofendidas é que conseguiram desviar o assunto para a sua vontade de querer o regresso da censura"
    O BE tem a liberdade de elaboração e divulgação do seu cartaz, neguem está a querer tirar esse direito, agora as pessoas que sentem ofendidas e indignadas, sejam virgens ou não (não percebo como a que a vida sexual de uma pessoa possa ou não validar a sua opinião), a liberdade de expressão existe para os dois lado, o BE teve o direito de publicar o cartaz, agora também tem a responsabilidade de assumir todas as consequências desse acto

    "Então imagine como se sentem os cristãos LGBT quando há pessoas que se dizem pró-LGBT a considerar um cartaz com o qual eles se identificam ofensivo."
    Qual é o problema? Existem pessoas que se identificaram com o cartaz, estão no seu direito, outras sentiram-se ofendidas, também estão no seu direitos. Qual é o problema de haver opiniões diferente, sobre um mesmo assunto?


    "Tanto se queixam de uma suposta "ofensa" aos cristãos, mas pelos vistos não têm problema em falar em nome dos cristãos quando há muitos cristãos que não se identificam com falsos moralismos"
    Eu não falei em nome cristão nenhum. Eu como ateu,e como defensor de um estado laico defendo que estas questões não devem ser discutidas sem ter por base qualquer tipo de ideologias/crença religiosa, mas sim com base em dados/evidencia cientificas.

    "Ah sim, porque querer censurar em nome dos "sentimentos" religiosos não é chamar a religião para este tipo de questões nem nada do género..."
    Os partidos/organização tem o direitos de ter as atitudes que quiserem tomar, agora tem a responsabilidade de assumirem com as suas consequências e de saber ouvir opiniões contrarias as suas.
    Eu pessoalmente não me revejo neste tipo de atitudes e tenho o direito de expressar que não me identifico com as mesmas
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.