Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Indonésia: Homossexuais açoitados publicamente

Indonesia gays.jpg

Indonésia, um país tantas vezes associado ao paraíso em termos turísticos está nas notícias pelas piores razões. Dois homens viveram um verdadeiro inferno quando foram castigados com 77 vergastadas na província de Aceh.

 

Os dois homens, de 27 e 29 anos, foram acusados de homossexualidade, um crime segundo a Sharia, a lei islâmica.

O casal foi detido pela polícia no passado mês de Novembro depois de ter sido denunciado por populares, que os acusaram de manter relações sexuais.

Inicialmente o tribunal condenou-os a receber 80 chibatadas, mas a pena foi reduzida para 77 por estarem na prisão até agora.

O castigo foi aplicado publicamente por um carrasco enquanto dezenas de pessoas assistiam. Grupos de direitos humanos já condenaram o sucedido.

As autoridades indonésias deviam ser "universalmente punidas por este castigo brutal e medieval por um acto que nem sequer devia ser criminalizado", condenou o director da associação Human Rights Watch na Ásia, Phil Robertson, citado pelo jornal The Guardian onde este caso foi notícia, entretanto replicada em vários órgãos de comunicação social.

Foi a terceira vez que as autoridades açoitaram pessoas por supostos actos sexuais entre gays na província de Aceh, que recebeu autoridade para implementar a lei sharia em 2001 como parte de um acordo de autonomia com o governo central.

A homossexualidade, a infidelidade conjugal, o consumo de álcool, os jogos de apostas e o uso de roupas justas no caso de mulheres também são considerados crimes puníveis com chibatadas ao abrigo da sharia.

Noutras províncias da Indonésia, as relações entre pessoas do mesmo sexo não são ilegais, embora as comunidades LGBTI+ enfrentem um agravamento da discriminação nos últimos anos e estejam cada vez mais na mira das autoridades sob pretexto de uma lei contra a pornografia e que os activistas dizem ser discriminatória.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.