Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Pedro e Lorenzo: “Não é correcto deitar abaixo outros que têm o mesmo objectivo que vocês” (com vídeo)

pedro.jpg

Lorenzo reagiu esta segunda-feira à noite em vídeo às críticas de que o casal foi alvo depois de publicarem uma foto ao lado de Pedro Passos Coelho e de terem admitido que desconheciam que o líder do PSD já não era primeiro-ministro e que tinha estado, por exemplo, contra a adopção de crianças por parte de casais de pessoas do mesmo sexo.

“Nós estamos a construir uma nova cozinha, gravamos vídeos todos os dias, estamos a desenvolver novas receitas e estamos a preparar vídeos com organizações mundiais sobre igualdade e direitos LGBT. Nós não vemos televisão, não ouvimos rádio e, acima de tudo, não lemos jornais. Eu sei que devíamos, pelos menos, saber quem é o nosso primeiro-ministro, mas, honestamente, nós somos dois miúdos com 26 anos, somos estúpidos, somos malucos e não temos estado informados sobre o o nosso país e sobre as políticas. Pedimos logo a seguir desculpas a todas as pessoas”, justificou Lorenzo, no fim de um dia em que a foto foi notícia em vários meios e deu até origem a memes, onde Pedro e Lorenzo surgiam sorridentes ao lado de Salazar ou de Ramsay Bolton (personagem da série "Guerra dos Tronos").

Lorenzo aproveitou o vídeo para repetir em inglês a argumentação que já tinha apresentado nas redes sociais: “Não representamos ninguém, não representamos nenhuma instituição (…) Somos um canal de YouTube e fazemos os nossos próprios vídeos porque adoramos fazê-los. Sentimos que alguns dos nossos vídeos mudam mentalidades de uma forma positiva.”. No mesmo testemunho, Lorenzo envia uma mensagem para aqueles que ele considera serem seus críticos: “Se são um grupo de activistas ou se são um site de notícias LGBT ou o que quer que sejam que lutem contra a discriminação, não é correcto deitar abaixo outros que têm o mesmo objectivo que vocês. Todos queremos o mesmo: igualdade, direitos iguais e zero discriminação”, sublinhou.

 

 

4 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Ben Nevins 10.06.2016 05:11

    É pena também não saberem Inglês, mas se calhar não leêm Livros - " (...) We didn't knew (...) " Seriously ? . . .
    Será claramente ilusório pensar-se que uma audiência de falantes nativos de Inglês não considere tal esforço como uma verdadeira anedota.
    Os Portugueses e Espanhois fizeram pois o favor de expulsar não só Sefarditas, como Asquenazis, como Mizrahi . . . A população Judia da Península Ibérica era das mais cosmopolitas do mundo de então, entre o velho mundo e o novo mundo, entre o sul e o norte da europa, e entre o ocidente e o oriente do mediterrâneo. Para não falar nos inúmeros Muçulmanos . . . A descriminar aparentemente não se descriminava.
  • Sem imagem de perfil

    Filipe 10.06.2016 22:23

    Era o povo que ia fazer as denúncias... e quando o vizinho tinha sucesso nos negócios lá vinha a queixa... sabia-se que era a inveja a funcionar... isto está nos livros para quem se der ao trabalho de procurar. Os portugueses e os espanhóis foram uns grandes sacanas com uma comunidade que estava cá na Península Ibérica desde os tempos do Império Romano... Mais de 700 ou 800 anos antes de haver Portugal e mais de 1300 anos antes de haver Espanha já havia judeus a viver na Península. Muita da perseguição contra os judeus foi movida pela inveja e pelo ódio contra o lucro. Os portugueses desconhecem que as ideias de Esquerda em Portugal contra o lucro, contra o dinheiro, contra a independência financeira, contra o capitalismo, ideias essas também fortes entre a Direita salazarista, são ideias muito antigas promovidas por facções da Igreja Católica como os dominicanos e os franciscanos. Por isto tudo sinto-me cada vez menos português e mais um cidadão do mundo, e por isto tudo também admiro cada vez mais os países anglo-saxónicos.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 11.06.2016 14:47

    "Por isto tudo sinto-me cada vez menos português e mais um cidadão do mundo, e por isto tudo também admiro cada vez mais os países anglo-saxónicos."
    Os países anglo-saxónicos que exterminaram as populações indígenas na América do Norte?
    Os países anglo-saxónicos que impuseram aos povos colonizados os seus preconceitos relativamente à homossexualidade?
    Os países anglo-saxónicos que se lembraram de praticar a circuncisão em bebés mesmo sem qualquer indicação médica, pseudociência essa que, apesar de descontinuada pela maioria dos países anglo-saxónicos há décadas, ainda se mantém nos EUA?
    Os países anglo-saxónicos que sugeriam a mutilação genital de mulheres lésbicas ou que tivessem "demasiada libido"?
    Os países anglo-saxónicos que inventaram coisas como "cintos de castidade"?
    São essas merdas que você defende, Filipe? Você defende que médicos enganem os pais de um recém-nascido sobre alegados benefícios de uma cirurgia que só deveria ser feita se necessária? Você defende que não se ensine educação sexual nas escolas para não ferir "liberdades religiosas"? Você defende que mulheres que querem terminar a gravidez sejam assediadas à entrada do estabelecimento médico em nome da "liberdade de expressão" dos assediadores? É que é isso o que acontece no maior país anglo-saxónico do mundo (felizmente os restantes países anglo-saxónicos deixaram-se disso).
    Mas é claro, os portugueses é que são isto e aquilo. Mas olhe, pode sempre emigrar.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.