Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Reflexões em torno da emancipação dos corpos dissidentes sexuais e de género no Porto

unnamed (38).jpg

A mostra que resultada da residência artística de Lyz Parayzo no Porto inaugura no dia 4 de Dezembro, no Maus Hábitos e no estúdio A Leste, estando patente em ambos os espaços até dia 8 de Janeiro. A entrada é livre.

Lyz Parayzo está de regresso ao Porto, com um novo projecto: “Cuir Popcreto”. Desenvolvido numa residência artística que arrancou em Outubro, no âmbito do programa InResidence (apoiado pela Câmara do Porto) que integra o projecto Caravana, promovido pela Saco Azul Associação Cultural e pelo Maus Hábitos, este novo projecto da artista brasileira é apresentado no dia 4 de Dezembro, ocupando até dia 8 de Janeiro dois espaços da cidade: Maus Hábitos e A Leste.

Unindo o conceito de “cuir”, utilizado na América Latina, em especial no Brasil, para designar pessoas que não se enquadram numa lógica binária e heteronormativa de género, ao termo “popcreto” que nomeia a fase pop da poética do artista italiano Waldemar Cordeiro radicado no Brasil, Parayzo procurou explorar neste processo criativo uma série de questões em torno do recente “fenómeno de emancipação dos corpos dissidentes sexuais” e de género. “Quais são as tácticas necessárias a serem adoptadas por corpos que até tão pouco tempo ainda eram tratades apenas como objectos dentro dos espaços institucionais? Quais são as referências de representatividade para artistas não brancos e não (cis-hétero) normativos? Se elas existem, quais delas são as que não reproduzem uma lógica colonial da violência?”, questiona a mostra.

Como parte do processo de criação, a artista dá continuidade a sua série de objectos de autodefesa, em metal, que “citam plasticamente uma estética concretista e fundamentada em conceitos como gestalt, corte e dobra”, mas desta vez mais atraída a explorar a composição nos espaços arquitectónicos e de forma mais experimental.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.