Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

São estes os números de homens vítimas de violência sexual em Portugal

quebrar o silencio.jpg

No dia em que a Quebrar o Silêncio completa três anos de atividade, a associação promove a partir das 10 da manhã desta sexta-feira o debate sobre “Violência sexual infantil, trauma e os direitos humanos das crianças”. A associação revela também que durante o ano de 2019 oito homens pediram apoio por mês.

 

Em 2019, a associação Quebrar o Silêncio recebeu 99 pedidos de apoio de homens vítimas de violência sexual, registando uma média de 8 novos casos por mês de sobreviventes. No total, ao longo dos três primeiros anos de atividade, a associação contabiliza 251 homens que procuraram os serviços da Quebrar o Silêncio. “A grande maioria dos homens que chega à Quebrar o Silêncio procura apoio pela primeira vez e muitos destes homens nunca partilharam a sua história de abuso. São homens com uma média de idades entre os 30 e os 40 anos, e que estiveram em silêncio grande parte das suas vidas”, refere Ângelo Fernandes, fundador da associação.

Dos 8 novos casos mensais que a associação recebeu, a maioria dos contactos, 64%, foram feitos por escrito recorrendo principalmente ao email, mensagem privada via redes sociais e formulário do site da Quebrar o Silêncio. Praticamente um terço dos pedidos, 31%, foi feito por telefone para a linha de apoio da associação e os restantes 5% por outros canais.

“Enviar um email continua a ser o principal modo de comunicação com a Quebrar o Silêncio. O meio escrito é um meio seguro para os homens, pois podem demorar o tempo que sentirem ser necessário para escrever o seu pedido de apoio. Como não necessita de resposta em tempo real como acontece com o telefone, muitos homens sentem-se mais confortáveis e seguros a enviar um e-mail do que ligar diretamente. Enquanto associação respeitamos e aceitamos qualquer pedido de apoio, independentemente do meio escolhido”, refere o mesmo responsável.

Não são só os homens vítimas de violência sexual que procuram apoio. A associação Quebrar o Silêncio tem registado um aumento significativo nos pedidos de apoio de pessoas amigas e familiares. Em 2018, a associação recebeu 35 pedidos de apoio, e em 2019 este número subiu para 75, mais do dobro.


Projectos para 2020

No primeiro semestre, a associação vai publicar um guia destinado aos órgãos da comunicação social com recomendações para a escrita de notícias relacionadas com violência sexual. Este guia conta com o apoio da Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade. No segundo semestre será lançado, através da editora Pergaminho, um livro sobre violência sexual infantil destinado a pais e educadores de infância.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.