Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Publicidade

Sousa Tavares sobre a adopção: “Houve alguns artigos de feministas, debate inflamado mas debate público com contraditório não houve” (com vídeo)

 

MST.jpg

Miguel Sousa Tavares aproveitou o espaço de comentário semanal na SIC para defender que a questão da adopção por parte de casais de pessoas do mesmo sexo devia ir a referendo.

O jornalista deixou claro os seus argumentos sobre a lei aprovada na Assembleia da República e vetada pelo Presidente da República. “Sou contra, sempre fui e não mudei de opinião. Não vi nenhum argumento que me convencesse do contrário”, disse, assegurando que “está por demonstrar que esta é a melhor solução para a criança.”

Sousa Tavares alinhou com as justificações de Cavaco Silva para o veto, defendendo, no entanto, que o tema deve ir a referendo. “O Presidente tem razão numa coisa, não houve debate publico nenhum. Houve alguns artigos de feministas, debate inflamado mas debate público com contraditório não houve, nem na Assembleia nem no país. Esta é das questões que eu acho que deviam ser referendadas pelos portugueses. Em segundo lugar também acho que o presidente tem razão quando diz que não está demonstrado que isto, a adopção de casais homossexuais garanta o superior interesse da criança”, explicou.

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 28.01.2016 19:13

    Já foram emitidos pareceres pela Ordem dos Psicólogos Portuguesa, Associação de Pediatria Americana, Associação de Psicólogos Americanos, que se baseiam em diversos casos-estudo e também em relatórios de pessoas ligadas à assistência social. Já foram apresentados no Parlamento estudos por duas ocasiões distintas.

    Existem diversos países: Espanha, Dinamarca, Suíça, EUA, Reino Unido, etc, onde já há diversos anos é permitida a adopção por casais do mesmo sexo.

    Só reclama o referendo as pessoas que o pretendem repetir até que o resultado obtido seja o que lhes interessa - algo tendencioso atendendo que:

    -o referendo é uma ferramenta democrática e não uma arma de arremesso para tentar atropelar direitos civis;
    -não se referendam direitos humanos ou direitos civis.

    Mas se queres mesmo referendar o direito dos casais do mesmo sexo a adoptarem sugiro que em simultâneo se faça um a apurar a capacidade dos casais heterossexuais. É que de acordo com o relatório da Direcção Geral da Administração Interna a maioria dos abusos sexuais a menores em Portugal são feitos por homens adultos a crianças do sexo oposto dentro do seio familiar.

    Em 2012 um bombeiro violou e engravidou a filha por duas vezes, forçando-a a abortar pelo menos uma, e pondo o bébé fruto do incesto para ser adoptado à segunda. A mãe biológica da rapariga pô-la fora de casa depois do pai ter sido detido pelas autoridades.

    Mais recentemente um pai quis entregar um filho na PSP porque tinha descoberto que ele era gay e não o queria mais.

    E estes são apenas dois em centenas de casos de abuso perpetrados pela própria família por pessoas que se identificam como heterossexuais, vulgo, aquilo que querem impingir como família ideal.

    Os homossexuais não são melhores em nada, mas aí está, as famílias heteroparentais não o são melhor nem mais infalíveis.

    Quanto ao puto Anónimo, se por ventura queres estar a debitar as tuas incongruências talvez aches mais facilidade em ter o ego masturbado se por ventura as despejares noutros grupos que partilhem da tua ideologia. Aqui só ficas se por ventura a tua onda fôr a de levar nos cornos - mas não te preocupes: não é por gostares de BDSM que te discriminamos ;)
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.