Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Sousa Tavares sobre a adopção: “Houve alguns artigos de feministas, debate inflamado mas debate público com contraditório não houve” (com vídeo)

 

MST.jpg

Miguel Sousa Tavares aproveitou o espaço de comentário semanal na SIC para defender que a questão da adopção por parte de casais de pessoas do mesmo sexo devia ir a referendo.

O jornalista deixou claro os seus argumentos sobre a lei aprovada na Assembleia da República e vetada pelo Presidente da República. “Sou contra, sempre fui e não mudei de opinião. Não vi nenhum argumento que me convencesse do contrário”, disse, assegurando que “está por demonstrar que esta é a melhor solução para a criança.”

Sousa Tavares alinhou com as justificações de Cavaco Silva para o veto, defendendo, no entanto, que o tema deve ir a referendo. “O Presidente tem razão numa coisa, não houve debate publico nenhum. Houve alguns artigos de feministas, debate inflamado mas debate público com contraditório não houve, nem na Assembleia nem no país. Esta é das questões que eu acho que deviam ser referendadas pelos portugueses. Em segundo lugar também acho que o presidente tem razão quando diz que não está demonstrado que isto, a adopção de casais homossexuais garanta o superior interesse da criança”, explicou.

11 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 28.01.2016 17:18

    De que está o dezanove à espera para eliminar este tipo de comentários? Aliás, vindo de um site LGBT que deixa fascistas andarem por aí à solta e que promove xenofobia abertamente, não se poderia esperar outra coisa. O dezanove NÃO defende os interesses da comunidade LGBT.
  • Sem imagem de perfil

    Filipe 28.01.2016 19:33

    Outro paranóico do fascismo! Irra vocês são mesmo uma praga. Censurar comentários? Ora caramba, não é isso que se faz nas ditaduras? Belos democratas me saíram estes meninos da Esquerda radical.

    Senhor Anónimo, a Constituição proíbe a discriminação com base na orientação sexual. Portanto...
  • Sem imagem de perfil

    Senhor Anónimo 02.02.2016 17:01

    Filipe, a história da constitucionalidade aplica-se ao casamento gay, porque haviam 2 factores que se pretendiam associar de livre vontade e não o podiam fazer, mas não se aplica à adopção, porque há outro factor na equação a quem é negado o direito de escolha e tal como, tanto o Cavaco como o MST dizem, não está demonstrado que garanta o "tal" superior interesse da criança.

    Nota: é escusado os esquerdolas aparecerem a berrar com um rol de estudos porque também os há deste lado da barricada.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 02.02.2016 19:33

    Que estudos? Feitos pela Igreja Católica? Se forem economistas a defender cegamente o neoliberalismo, os direitolas aplaudem todos. Se for toda a comunidade científica a defender a adopção por casais do mesmo sexo, aí os direitolas acham todos que não há estudos e que não há debate. Os direitolas são uma praga pior que as DST's.
  • Sem imagem de perfil

    Filipe 02.02.2016 20:50

    Oh homem, vá estudar! Sabe o que é o neo-liberalismo? O Passos aumentou os impostos, belo neo-liberal...

    Embora seja mais adepto de um liberalismo clássico moderado, adoraria ver uma Tatcher à frente disto... a ver se limpava os fanáticos dos sindicatos e da FP... acabando-se a «mama», talvez acalmassem o fanatismo...

    Quanto aos estudos, a coisa resolve-se assim. Ponham lá as referências. Estes argumentos de chamar direitolas ou esquerdolas não são dignos de uma discussão saudável. São antes coisa de fanáticos e de gente que afinal não domina os temas.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 02.02.2016 23:15

    O neoliberalismo consiste ainda na privatização ao preço da uva mijona de empresas públicas que dão lucro (como por exemplo a TAP e a EDP), bem como na privatização de empresas públicas que, não dando lucro mas sendo perfeitamente sustentadas pelos impostos, devem ser públicas para poderem servir toda a população, que as paga com os seus impostos. Mas isto não quer dizer que privatizem tudo, de vez em quando nacionalizam um banco falido. Ou seja, nacionalizam-se os prejuízos e privatizam-se os lucros. Podiam era ter-me avisado que a TAP custava apenas 10 milhões de euros porque assim bastava arranjar 1% da população portuguesa (isto é, 100000 pessoas) para contribuir cada um com 100€ para a compra da TAP, o que levaria, segundo a lógica neoliberal, à criação de 100000 criadores de emprego.
  • Sem imagem de perfil

    Filipe 03.02.2016 09:48

    Você sabe o valor da dívida acumulada da TAP?
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 03.02.2016 14:54

    Tendo em conta o preço tão baixo da venda da TAP, todos nós deveríamos ser informados do mesmo. É que havia muito boa gente que, comprando a TAP, dar-lhe-ia um melhor serviço. E até estaria disposta a pagar um bocado mais. Fazer um leilão sem avisar as pessoas é um insulto a todos os portugueses.
  • Sem imagem de perfil

    Filipe 03.02.2016 17:18

    looooool

    Só havia dois compradores interessados por algum motivo.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 03.02.2016 18:40

    Oi? Eu estava interessado em comprar a TAP mas achava que ia ser demasiado cara. Ninguém me avisou que só custava 10 milhões.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.