Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Tales Frey e Da Mata apresentam-se em Guimarães

pernas.jpg

São inauguradas a 11 de Janeiro as exposições de Paulo Aureliano da Mata e de Tales Frey no CAAA – Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, em Guimarães.

 

“Tão Só o Fim do Mundo” e “Cinco Tácticas de Activação” compilam mais de 20 obras que pretendem questionar o lugar das ditas minorias numa economia excessivamente centrada no capital e na normatividade.

“Tão Só o Fim do Mundo” apresenta conteúdos autobiográficos com um desejo profundo de comunicar injustiças sociais, como é o caso de Gisberta Salce. Já a exposição de Tales Frey apresenta obras sensoriais que “colocam os corpos dos visitantes em convívio, trazendo à tona um problema basilar do pensamento político que consiste em propor garantias de vivências harmoniosas numa unidade comum, considerando as variadas singularidades, as dessemelhantes subjectividades”, refere a organização.

Tales Frey e Da Mata casaram-se durante uma performance intitulada “Aliança” em 2013, quando a união estável entre pessoas de mesmo sexo ou da mesma identidade de género foi reconhecida no Brasil, cuja lei passou a facilitar a conversão em casamento igualitário. Ambos têm criado trabalhos que discutem género e sexualidade e utilizam seus corpos como suportes e veículos para produzirem arte. Paulo Aureliano da Mata vive e trabalha entre Portugal e Brasil. É artista, curador independente e historiador da arte da performance. Em 2018, as suas obras Eu Gisberta e El Minotauro #3 integraram permanentemente o acervo do Museu de Arte Contemporânea de Niterói. Tales Frey também vive e trabalha entre o Brasil e Portugal, integrando o programa de pós-doutorado do Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho.

A par das exposições, o programa no CAAA inclui ainda a exibição dos filmes “O Processo”, de Maria Augusta Ramos, que olha para o processo de impeachment de Dilma Rousseff, “La Féerie des Ballets Fantastiques de Loïe Fuller”, de Georges R. Busby, e “Tão Só o Fim do Mundo”, de Xavier Dolan.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.